MEU FILHO VIVE na RESERVA,ELE não é BOM?

MEU FILHO VIVE na RESERVA,

ELE não é BOM?



Existem neste caso, variáveis que precisam ser consideradas. Na INICIAÇÃO ESPORTIVA, o responsável pela ministração das aulas deve promover um revezamento entre todos os alunos a fim de que todos os participantes dos treinamentos também participem dos jogos. Quem começa jogando é um critério que pode ser estabelecido a partir da frequência às aulas, comportamento nos treinamentos, das notas escolares e até mesmo do rendimento nos treinamentos. O importante é que “todos” os alunos se sintam valorizados.


Quando falamos do ESPORTE DE RENDIMENTO, essa situação precisa ser avaliada de outra forma. Em condições normais e naturais, um treinador faz a escolha dos atletas titulares de acordo com o rendimento individual. O objetivo no alto rendimento é sempre a vitória, a superação, a conquista de títulos e pensando nisso, os treinadores montam seu elenco e o time titular. Porém, o treinador pode cometer erros de avaliação ou optar por um esquema tático onde as características técnicas do seu filho (a) não sejam sua primeira opção.


Se o seu filho for um “lateral direito” por exemplo, e o elenco que ele faz parte tiver outros 02 ou 03 laterais direitos, a concorrência será maior. Pior ainda se a “vaga de titular” já estiver sendo ocupada por um atleta da posição e da preferência do treinador. Seu filho (a) pode buscar um novo espaço, ou conformar-se com a situação correndo o risco na hora da renovação de contrato, ver dispensado seu serviço! Estar no lugar certo na hora certa, pode fazer toda diferença em nossas vidas.

No esporte de rendimento todo treinador quer e precisa vencer. Escalar um atleta “desqualificado” em detrimento a um “qualificado” é algo que beira a estupidez, assim, se seu filho (a) está fora do time titular, mantenha sua calma e observe todos os detalhes que compõem a atual situação dele (a). Seguindo o exemplo acima, uma atitude inteligente diante de tal situação é procurar no mercado um clube que “esteja precisando de um lateral direito”, aumentando assim as chances de aproveitamento do seu filho (a).


Seu filho (a) pode ser um excelente atleta, estar no lugar errado e na hora errada! Conheço muitos atletas que tiveram carreiras bem sucedidas porque estavam no lugar certo na hora certa, não eram diferenciados e nem reconhecidos como “tops”, mas a sorte sorriu-lhes e tudo convergiu à favor de suas carreiras! O importante é seguir tentando, acreditando, insistindo, focando o alvo! Troque de time, de cidade, até de posição, mas vá ao seu limite e não se esqueça de “planejar e cultivar o plano B”, ele pode ser necessário a qualquer momento.


4 visualizações